sábado, 29 de outubro de 2011

JESUS NO EVANGELISMO

Lá estava Ele, conversando com desocupados, alguns aparentemente bêbados quando chega um jovem com folhetos na mão:
- Boa tarde, posso dizer algumas palavras para vocês? – o rapaz chega tímido, estendendo a mão com um folheto em direção a Jesus.
- Boa tarde. – alguns respondem, enquanto outros começam uma conversa paralela. Jesus pega o folheto e passa para um homem ao seu lado.
- Você poderia deixar alguns desses folhetos conosco?
– pergunta Jesus olhando o jovem visivelmente constrangido.
– Você está com vergonha?
- Nããããããooo, eu não tenho vergonha da Palavra. Na bíblia diz que aquele que se envergonhar de Jesus diante dos homens, Ele vai se envergonhar dele diante do Pai. Eu não tenho vergonha do evangelho, por isso que saio evangelizando.
– A conversa paralela aumenta, mas Jesus e 2 outros se detêm no rapaz, ainda mais constrangido pela pergunta de Jesus.
- Ah... me pareceu que você estava envergonhado. Não digo que do evangelho, mas da tarefa de abordar desconhecidos para entregar folhetos. Tudo bem...
– Jesus olha fundo nos olhos do moço que desvia o olhar para o chão.
- De forma alguma senhor... é uma honra proclamar as Boas-Novas!
– o rapaz continua de cabeça baixa pensando em como sair da situação constrangedora com aquele estranho.
- Que bom! É sempre gratificante encontrar alguém interessado em falar sobre as Boas-Novas do Reino. Acredito que nem todos aqui estão interessados, mas como pode ver, eu e esses 2 colegas estamos prontos para receber as novidades que você tem. Diga lá, quais as Boas-Novas?
– Jesus fecha uma roda com ele, os outros 2 colegas maltrapilhos e o jovem recém chegado.
- Ééééééé, entãoooo... tá no folheto ai. Jesus morreu por todos nós para a gente ir morar com Ele no céu. Entãooooo... ai no folheto tem os detalhes, horários de culto. Se vocês puderem vão lá à igreja. Hoje mesmo tem culto da prosperidade lá.
– Jesus estende a mão para receber o folheto, pois o jovem ainda não havia entregado. Nesse momento um dos colegas, até o momento calado se pronuncia.
- Pô irmão, eu sou crente sabe? Eu era da Igreja Pentecostal dos Milagres de Jesus, não tô indo, mas oro em casa, leio a bíblia sabe? Sou crente! Você tem uma ajuda ai pra me dar? To precisando muito de comer... e ai mais tarde eu vou lá para o culto.
- A minha igreja é a Igreja Internacional do Reinado do Pai, essa ai que você disse eu conheço, mas lá na nossa igreja Deus se manifesta MESMO. Se você for lá Deus vai te abençoar e tirar você dessa situação de miséria.
– o rapaz se anima com o interesse do maltrapilho.
- Mas e ai, tem uma ajudinha?
– ele faz uma cara de dó e coloca a mão sobre a barriga mostrando com os gestos que a fome estava grande.
- Não tenho...
– antes de acabar a frase o outro retruca:
- Ué, se não funciona nem para você, eu vou lá fazer o que??? Não tem nem um trocado ai irmão?
– o maltrapilho levanta a voz e se aproxima do rapaz. Jesus intervém encostando levemente a mão no peito do homem:
- Calma, fique tranquilo, eu mesmo não tenho onde reclinar minha cabeça...
– o rapaz interrompe rapidamente, vendo a oportunidade de “falar sobre o Reino”:
- Então moço você tem que ir lá na igreja. Vai começar uma campanha lá de 7,77 semanas onde todos vão receber a unção de prosperidade nacional. Ai você sai da pindaíba. Paulo mesmo disse na bíblia: “Deus te chamou para ser cabeça e não cauda”!!!
– Jesus olha surpreso com essa argumentação e o versículo atribuído a Paulo.
- Paulo disse isso? – olhar de Jesus não deixa o rapaz.
- Ééééé, Paulo da Bíblia, o senhor não conhece ele, mas lá na igreja o apóstolo prega, ora e as coisas acontecem. Esses dias o apóstolo comprou uma casa no Lago Sul sem nenhum dinheiro... Deus DEU PARA ELE! E ainda veio com um New Civic, aleluiasssss.
- Deus deu a ele?
- Jesus olha para o céu...
– e eu não tenho nem morada certa...
- É que o senhor não tem fé, por isso tá sem casa, mas vamos lá que o apóstolo vai impor as mãos sobre você para decretar a benção. A benção decretada de acordo com a palavra, Deus tem que ouvir, Ele não é homem para mentir, se tá na bíblia Deus tem que obedecer e fazer, é só decretar como está na palavra. Agora tem quer ter fé e cumprir a campanha direitinho. As coisas acontecem moço. Ôôôôôôôô glóóóóóriaassssss!!!
- É moço...
– o colega faminto olha para Jesus
– o rapaz tá certo. Fui um tempo na igreja e vi um monte de gente prosperar... ficar rico. Todo culto tinha um testemunho de alguém que fez a campanha e foi abençoado. Carro, casa, bens. Eu mesmo fiz a campanha, mas continuei pobre e pior, vendi o barraco lá no Jardim Ingá para semear e não recebi nada. Sou um homem de pouca fé. Não mereço ser crente... minha mulher me deixou depois que vendi o barraco. O pastor arrumou um homem de Deus para ela. Próspero.
– os olhos do homem encheram de lágrimas com a lembrança, ainda doída do fracasso na fé, no relacionamento, na vida.
- Qual o seu nome?
– Jesus pergunta para o novo colega.
- É Zaqueu, mas todos me chamam de Pará.
- Ééé, tem que ter fé, senão não funciona.
– o jovem se emociona com a história do homem. A única explicação é a falta de fé, a culpa não é de Deus, se Deus não abençoou é porque faltou fé.
– Vou indo gente, apareçam no culto depois. Pará, tenha fé... Deus vai restituir 7 vezes mais.
A roda inicial tinha dispersado ficando apenas os 2 que ouviram a “pregação do evangelista”. Jesus passou o braço pelos ombros do Pará e perguntou?
- Vocês estão com fome?
- Pô, nem me fale... véi.
Pará não respondeu e ficou cabisbaixo, perdido em pensamentos.
- E ai Pará, fome?
– Jesus pergunta apertando o ombro do Pará.
- Tô não... valeu.
Mesmo com a negativa Jesus enfia a mão na sua bolsa e retira um marmitex, entregando-o ao Pará.
- Que é isso???
– Pará fica surpreso e antes de continuar a frase Jesus retira outra e entrega ao outro faminto.
- Obrigado!
– o cara olha super desconfiado para Jesus que tira um terceiro marmitex:
- Vamos comer enquanto está quente!
- De onde você tirou isso?
– Pará não acreditava no que via. O marmitex estava quente...
- O Pai sempre dá o que é necessário.
– Jesus finaliza tirando 3 jogos de talheres de sua bolsa.

por Marcos Siqueira

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

A REVOLUÇÃO DO AMOR DE CRISTO: ALCANÇAR ALMAS!
                                                                                                               por Márcio R. Fidélis

Há mais de 2 mil anos atrás, num tempo em que se vivia a Lei, que era dura e  não podia ser cumprida por ninguém, onde a religiosidade e os julgamentos dos religiosos contra o povo eram implacáveis, Jesus Cristo aparece provocando uma revolução sem precedentes, apontando para aqueles que viviam da hipocrisia da religião, que pecavam tanto quanto qualquer pessoa, não estavam em posição de julgar a ninguém.

Jesus em seu Ministério mostrava que todas as pessoas eram iguais diante de Deus, e que somente a sua Graça poderia tirar do ser humano toda sujeira vivida pelo pecado. E nos ensina hoje como combater o mundo. Que mundo?
- Mundo = na visão dos religiosos, é o que há de matéria física, existencial (praia, cinema, futebol, música secular, certas roupas, piercing, tatuagem, festas, churrascadas, baladas, internet, tv, etc.);
- Mundo = na visão de Jesus, é espiritual, é o mal na qual o mundo jaz, está morto, é refém (injustiça, dor, sofrimento, falta de amor, falta de misericórdia, de perdão, de sofrimento, de desprezo, etc.).

É esse mundo, o espiritual, o de maus sentimentos orquestrados pelo maligno que precisamos nos posicionar, combater o bom combate, pois Jesus combateu os religiosos, os homens da lei e os políticos, para estar sempre do lado do injustiçado, lhe trazendo justiça e alívio.
A revolução do Amor de Cristo nos convida a praticar o verdadeiro amor e a verdadeira justiça.

As pessoas julgam umas às outras sem perdão e sem humanidade, mas não precisamos disso, o que precisamos é do Amor de Cristo para abraçar os que estão sujos e abandonados pela sociedade.
Vemos tantas coisas erradas na sociedade, na política, nas igrejas, e não importa onde, mas temos a obrigação de fazer parte dessa revolução, cada um de nós levando a Graça de Cristo por toda a Terra.

Tudo o que fizermos tem de ter o Amor de Deus, pois Deus é Amor e ama a todos, A TODOS!
Temos que ter a consciência que nem tudo devemos fazer (não é não podemos, mas é não devemos), para que não nos tornemos escravos de alguma coisa. Além disso, é essa consciência o nosso termômetro, o que nos fará perceber o quanto estamos errando diante de nós mesmo, de Deus e em relação ao nosso semelhante!

M.R. FIDÉLIS, pastor-missionário de Cristo.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011


Um fazendeiro, que lutava com muitas dificuldades, possuía alguns cavalos para ajudar nos trabalhos em sua pequena fazenda. Um dia, seu empregado chegou com a notícia de que um de seus cavalos havia caído num velho poço abandonado.

O fazendeiro foi rapidamente ao local do acidente, avaliou a situação, certificou-se de que o animal não se machucara, mas pela dificuldade e o alto custo para retirá-lo do fundo do poço achou que não valeria a pena investir numa operação de resgate.

Tomou então a difícil decisão: determinou sacrificar o animal, jogando terra no poço até enterrá-lo. E assim foi feito. Os empregados começaram a jogar terra para dentro do buraco, de forma a cobrir o cavalo.
Mas à medida que a terra caía em seu dorso, o animal se sacudia e a terra ia se acumulando no fundo, possibilitando a sua subida. Logo, os homens perceberam que o cavalo não se deixava enterrar, mas ao contrário, à medida que a terra enchia o poço, mais ele subia, até que conseguiu sair.
Sabendo do caso, o fazendeiro ficou muito satisfeito e o cavalo serviu ao dono da fazenda por muitos anos.
Quando você estiver “lá embaixo”, sentindo-se desacreditado, desvalorizado, desprezado, sem reputação, não deixe a derrota, o abatimento e o insucesso cair sobre você. Suba sobre eles.
Transforme-os em oportunidade e possibilidade para subir e sair da situação difícil em que se encontra.
(Autor Desconhecido)

Paz seja a todos de bom coração, cheio do Amor de Deus!
MR Fidélis, pastor-missionário de Cristo.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

PERDI A FÉ EM "deus"

Imagem: Logotipo do Clube Cético
                                                                                                  Por Marcio Alves

Atenção! Atenção! O texto a seguir, contém idéias muito fortes e provocativas, portanto se você não quiser perder a sua fé ingênua e tradicional dos evangélicos, não leia o texto abaixo.

Perdi a fé em “deus”........Parcial, do tipo que dá emprego, carro, dinheiro e casa para os fieis enquanto deixa milhões morrerem de fome. Que favorece seus escolhidos, dando vantagem sobre os outros mortais. Facilitando a vida de quem o serve. Que em troca da fé, compensa a falta de competência, dando um empurrãozinho, fazendo - por exemplo - os seus fieis passarem no vestibular.

Perdi a fé em “deus”........Local, que dá livramentos de assaltos e acidentes mas não impede uma tsunami que mata milhares.

Perdi a fé em “deus”........Medíocre, que cura dor de cabeça, nariz e cotovelo, mas não cura amputados, crianças com síndrome de down.

Perdi a fé em “deus”........Determinista, que manipula tudo e a todos. Que orquestra todos os acontecimentos. Que micro e macro gerencia todos os eventos no universo.

Perdi a fé em “deus”........Que destinou na eternidade passada, alguns eleitos para o céu, enquanto a grande esmagadora maioria para queimar nos infernos.

Perdi a fé em “deus"........Vingativo, assassino, carrasco e cruel que cobra desempenhos, sacrifícios e penitências em troca de favores. Que persegue o homem com maldições, esperando uma falha para castigar.

Perdi a fé em “deus”........Bobalhão, que está a serviço do homem, que recebe ordens. Facilmente manipulado, que é preso por correntes (campanhas) de oração.

Perdi a fé em “deus”........Passivo e inerte, que precisa de um empurrãozinho, para poder agir, porque é débil no seu amor.

Perdi a fé em “deus”, com “d” minúsculo e entre aspas, que foi e é, cultuado na cultura evangélica, mas que não condiz com o Deus revelado nas escrituras e principalmente em Cristo. Um “deus” pagão, que nada mais é, do que uma projeção da imagem do próprio homem.
O homem vê em "deus" a sua própria imagem, ou seja, se ele (homem) é mesquinho, ele vê um “deus” mesquinho. Se ele (homem) é um interesseiro, que só ajuda quem merece, ele projeta em “deus” está imagem. Ou seja, que “deus” só ajuda quem merece. (quem faz campanhas intermináveis de oração, por exemplo)

Perdi a fé em “deus”........Mas nem tudo está perdido!!! Alias, algumas coisas para nós ganharmos, antes é preciso perder. Perdi a fé nesse “deus” que os evangélicos vêm propagandeando, por que se mostrou incoerente e incompatível com a realidade da vida.
Mas ganhei outra fé, que está dia a dia sendo re-significada, tendo como chão (base) a pratica (existência) da vida humana. Por esta fé, estou entusiasmado.

Ganhei a fé em Deus........Solidário com a raça humana, que morreu na cruz, sofrendo as injustiças e as dores da humanidade. A mais fabulosa de todas as noticias é que; a nossa dor dói em Deus.

Ganhei a fé em Deus........Imparcial que ama a todos incondicionalmente, pai de todos, que abençoa a todos, sem olhar para classe social ou religiosa. Um Deus que faz com que, sol e chuva venham sobre bons ou ingratos.

Ganhei a fé em Deus........Global que, se agir livrando alguém de assalto, livra também do tsunami. O que não podemos fazer é, crer em um possível livramento de assalto ou testemunharmos que Deus abriu-nos uma porta de emprego, e fecharmos os nossos olhos para a realidade cruel do mundo.

Ganhei a fé em Deus........De milagres, seria insano não acreditar em milagres, mas no entanto não devemos nem buscar e muito menos esperar por milagres. Explico: Como posso orar para Deus curar uma febre ou dor de cabeça, enquanto tem milhões morrendo de AIDS, ou no mínimo piores do que eu? Só pelo fato de ser solidário com a raça humana, o Cristão consciente, não deve buscar alivio para suas dores. Alias, todo verdadeiro Cristão deveria fazer um pacto com Deus, o de pedir bênçãos que sejam universais. Exemplo: Porque ao invés de pedir uma cura individual, não pede pra que Deus de sabedoria aos médicos pra que encontre cura e todos seja beneficiado? Em relação a não esperar por milagres, é que os milagres são raros, ou seja, são exceções do sobrenatural misterioso do agir de Deus. Não devemos organizar nossa vida entorno de um possível milagre, por que as chances de nos frustramos é grande.

Ganhei a fé em Deus........Esvaziado, não somente em Cristo, mas no ato da criação. Por nos amar, Deus decidiu soberanamente abrir mão do poder de controlar tudo e a todos, e nos concedeu total liberdade. Todo sofrimento é o preço pago por nossa liberdade.

Ganhei a fé em Deus........Que morreu para salvar a todos, não somente os escolhidos. A lógica é a seguinte: Se a bíblia diz que Deus deseja que todos sejam salvos, e se ele destinou pessoas para o céu e outras para o inferno, porque ele não destinou todos para o céu? Ou a bíblia cometeu um grande erro, e está se contradizendo (o que eu não acredito) ou, erro de interpretação e de conceito. (que é o que eu acredito)

Ganhei a fé em Deus........Amoroso, que persegue o homem sim, mas com o seu grande amor. Que nos entende e está pronto a nos perdoar.

Ganhei a fé em Deus........Além de Deus, que ninguém o pode controlar, manipular.

Ganhei a fé em Deus........Da graça, que tudo o que nos deu ou vai nos dar, não é proporcional ao tamanho do nosso mérito.
Assim me despeço de uma fé infantil – que jogava para Deus, o que é da responsabilidade humana. (Como conseguir um emprego, passar no vestibular e outras coisas) De uma fé que gera alienados, gente covarde, que tenta através de Deus, fugir e ou se esconder da realidade da vida.
Enfim, uma fé alucinatória, que fecha os olhos para o sofrimento humano, eu não a quero nunca mais. Fé pra mim é muito mais do que um mecanismo para arrancar coisas de Deus, é coragem para enfrentar a vida, com tudo que ela vier.
Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.

domingo, 23 de outubro de 2011

HINO DE LOUVOR A DEUS

DEUS AMA E ABENÇOA O SEU POVO
SALMO 100
"Cantem hinos a Deus, o Senhor,
todos os moradores da terra!

Adorem o Senhor com alegria
e venham cantando até a sua presença.

Lembrem que o Senhor é Deus.
Ele nos fez, e nós somos dele;
somos o seu povo, o seu rebanho.

Entre pelos portões do Templo
com ações de graças,
entrem nos seus pátios com louvor.
Louvem a Deus e sejam agradecidos a ele.

Pois o Senhor é bom;
o seu amor dura para sempre,
e a sua fidelidade não tem fim."

Não desista daquilo que Deus tem pra você, por mais que demore,vai se cumprir!
Boa semana a todos,
M.R. Fidélis, missionário de Cristo

sábado, 22 de outubro de 2011

BUSCANDO O REINO DE DEUS


“Mas, buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas (as coisas no contexto do texto que não dá pretexto pra cabresto) vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33)

Jesus disse que: “o Reino de Deus não vem com aparência exterior (visível), nem dirão: ei-lo aqui, ou, ei-lo ali; porque, eis que o reino de Deus está entre vós” (Lucas 17:21,22).

É um paradoxo, mas existem pessoas que entraram no Reino mas o Reino não entrou nelas. Estão no Reino como estava Absalão, mas sem ver a face do Rei e conspirando contra o seu reinado (2 Samuel 14:28; 15:1-14).

Isso significa que tais pessoas tiveram um metabolismo religioso para não sucumbir as crises existenciais, mas que de fato não entregaram a gestão do seu reino interior ao Rei.

Novo paradoxo mas, algumas pessoas quando não eram “crentes” eram mais cristãs do que são hoje, pois aderiram a um ufanismo sacerdotal e levítico que está a anos luz da sensibilidade samaritana (Lucas 10:25-37).

O Reino de Deus em nós nos torna semelhantes a Cristo, e tais pessoas depois que tiveram uma pseudo-conversão tornaram-se pior porque vivem em função de uma religiosidade psicótica, um Fundamentalismo Militante Evangélico que oprime e fabrica súditos mas não gera filhos de Deus.

Cadê O Reino pelo Amor de Deus!!!

Onde não está O Reino de Deus

O Reino de Deus não está em um lugar geográfico romanizado

O Reino de Deus não está em formas exteriorizadas mecanizadas

O Reino de Deus não está em conjunto de doutrinas e metodologias ideologizadas

O Reino de Deus não está em ativismo religioso frenético neurotizado

O Reino de Deus não está centrado em uma personalidade carismática persuasiva

O Reino de Deus não está em fundamentalismo tirano suicida

O Reino de Deus não está em experiencialismo sobrenatural narcotizado

E antes que sejamos seduzidos pela casualidade descompromissada dizendo “Agora sim encontrei O Reino de Deus”, deixe-me lhe falar uma coisa : O Evangelho não é uma canção eventual tipo Zeca Pagodinho que nos proporciona a opção “ deixa a vida me levar, vida leva eu...”

Buscando O Reino de Deus

Buscar o Reino de Deus é buscá-lo no coração dos homens, pois quando olhamos para dentro de nós podemos perceber quem está governando o nosso ser, ele não tem de ser buscado em outro lugar senão dentro da nossa interioridade e submissão a vontade do Nosso Rei.

Buscar o Reino de Deus em mim não é uma tarefa de ansiedade mais uma tarefa de descanso. É um entregar, é um aceitar o cuidado amoroso e providencial de Deus por nós.

Buscar o Reino de Deus é converter o coração a confiança ao amor e a misericórdia na certeza de filiação Divina.

Buscar o Reino de Deus é a capacidade de reconhecer a minha incapacidade aceitando a capacidade de Deus.

Buscar o Reino de Deus é buscar a justiça, o que é íntegro, o que é reto que não é fruto de legalismo, moralismo ou de fanfarrismo trombeteiro, mas de justiça discreta, mansa e não marketeira.

Buscar o Reino de Deus é ter sensibilidade e coragem para assumir a identidade de bem-aventurado tendo como status o título de: “pobre de espírito, manso, aquele que chora, aquele que têm fome e sede de justiça, misericordioso, limpo de coração, pacificador, aquele que sofre perseguição por causa da justiça, aquele que é injuriado e caluniado” recebendo a promessa que não é transitória, mas eterna que diz: “ Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós” (Mateus 5:1-12)

Buscar O Reino de Deus é buscar o Reino do Amor vertical que se traduz em amor horizontal.

“Em verdade vos digo que, qualquer que não receber o reino de Deus como menino, de maneira nenhuma entrará nele” (Marcos 10:15)

Em Cristo, e buscando sem stress O Reino de Deus,
Franklin

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

SENHOR, LIBERTA-ME DO MEDO NOCIVO!
Recebi esse texto por email e acho que traduz bem o momento ao qual estou passando em minha vida, em todas as áreas, e na qual demanda de mim um esforço muito grande para não apertar errôneamente o botão vermelho.

"Deus não deseja nos ver com medo.
Existe uma porção de coisas das quais temos medo: de morrer, passar fome, fracassar, de avião, acidentes, agulhas, facas, de se perder, ser abandonado, ficar doente, ser ferido, do escuro,  do desconhecido, da opinião alheia e de ser rejeitado. Mas Deus pode nos curar de cada um desses medos sabia? Com a oração aprendemos a nos libertarmos deles pois passaremos a andar com o Senhor e passar tempo em seu amor e sua presença.
Deus não deseja que vivamos com medo. O medo não vem Dele. É o mundo que nos ensina  a ter medo. As coisas que vemos no cinema, em videos, nos jornais e em livros nos dão medo.O que ouvimos as pessoas dizer ou as vemos fazer nos dá medo. O inimigo pode nos levar a ter medo de tudo, inclusive do nosso futuro. É desgastante se preocupar que algum de seus medos vai se concretizar. Contudo, não é preciso ser atormentado pelo medo.
Existem dois tipos de medo: o que é do Senhor e o que é nocivo. Devemos orar para viver no temor do Senhor,que é bom, e não no medo nocivo, que é um tormento. A fim de nos protegermos dele, precisamos nos preocupar mais com o que Deus diz do que com o que qualquer outra pessoa diz.
Há tanto o que temer neste mundo. Por vezes, só é preciso uma noticia para nos encher de medo. Nossa propria imaginação pode nos assustar, mas Deus deseja nos libertar de todo o medo para sempre.
Se vc assiste a filme de terror no cinema ou pragramas assustadores na televisão, ao invez disso, leia a Palavra. Se assistir ao noticiario lhe dá medo, ou não assista a ele ou o use como oportunidade para orar pelas situações que aparecem nas noticias. Faça todo possivel para chegar-se a Deus, vc pode por exemplo, ouvir musica de adoração ou canticos de louvor. O medo desaparece na presença do Senhor."
Trecho do livro “O poder da mulher que ora” de Stormie Omartian.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

GANHO A SALVAÇÃO PELOS MEUS ATOS OU PERCO QUANDO FAÇO COISA ERRADA?

Carta-resposta.
Sei que muitas vezes somos tentados a achar que merecemos a salvação por algum ato de bondade por nós praticada, como também de perdê-la por alguma ato de injustiça ou coisa errada que tenhamos praticado.
Como superar esta crise?
(anônimo)
Resposta:
Quando você ficar se achando “bom”, lembre de como você é essencialmente um velhaco, presunçoso, egoísta, vaidoso, cheio de si, e um zero a trilhões de dígitos à esquerda, e que não se enxerga; mas que, às vezes, pensa que é grande coisa.
Se isso não bastar, lembre que somente um grande idiota pode achar que possui luz própria e que sua própria bondade pode ser oriunda dele mesmo.
Então, caia no pó e na cinza e se arrependa dessa maldade!
Mas quando você estiver se sentindo “mau” por ser tudo o que você é, e por fazer tudo o que você faz, e por se omitir em tudo o que você se omite, e por julgar tanto os outros com critérios que condenariam a você mesmo; então, caia no pó e na cinza, grato e entregue, crendo que “pela Graça você é salvo, mediante a fé, e lembre que isto não vem de você—é dom de Deus—, e nem de suas eventuais boas obras; pois tanto você não é apto a praticá-las de si mesmo, como também, mesmo que conseguisse, não seria assim a sua salvação, para que você não se gloriasse. Sem ser assim já tem gente que “se acha”.
Imagine se fosse? Meu Deus! seria o inferno!
Sem a Cruz suas melhores virtudes são titica.
Na Cruz suas titicas são você.
A questão é que Deus estava em Cristo reconciliando essa titiquinha com Ele mesmo!
Isto basta!
Ou não?
Nele,
Caio

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

VÍTIMA ALGOZ

                                                                          por Luciano Maia
Muitas vezes que pude aconselhar casais em crise conjugal saí com a sensação de que se tratavam de duas vítimas. “Quem é o culpado pela crise?”, poderia alguém perguntar. Mas muitas vezes respondo: “Ambos são vítimas… Ambos são algozes…”
Hoje tive um almoço com um amigo que está atravessando um destes momentos em sua vida conjugal. Saio emocionalmente destruído de um encontro destes, mas saio espiritualmente fortalecido, já que durante o bate-papo não paro de orar: “Senhor… O que dizer?”. Graças a Deus que sempre nos orienta o que dizer ou não dizer.
Jesus falou tanto de perdoar os outros por conta deste paradoxo existencial: No palco da vida, todos atuamos nos dois papéis – o de algoz e o de vítima – alternando-os constantemente.
Não há quem não tenha feito alguém sofrer neste mundo, de uma ou de outra forma, em maior ou menor grau. Todos nós já fofocamos, já rimos pelas costas, já tiramos sarro, já nos orgulhamos de nunca ter feito nada disto, já nos orgulhamos de sermos religiosos, já idolatramos nossa religião (que certamente é a melhor, certo?). Todos já mentimos pros pais, pro patrão, pro guarda, pro Estado. Todos já mentimos dizendo que não mentimos nunca. Todos já rimos de um erro alheio, preferimos determinada companhia em detrimento de outra, já recusamos atender a um telefonema ou mandamos dizer que não estamos. Certamente que alguém já sofreu de amor ou paixão por nós…
Sim, todos já fomos algozes. Todos, em algum momento, poderíamos ter sentado no banco dos réus. Todos já tivemos alguma culpa.
Assim como já fizemos tudo isto para outros, certamente que outros também já o fizeram a nós. Mas, como diz o ditado: “Quem bate esquece, mas quem apanha não se esquece.” Facilmente nos esquecemos de quem fizemos sofrer. Aliás, muitas vezes desconhecemos que fizemos alguém sofrer. Entretanto, os que nos fizeram sofrer… Ai… Como dói, como guardamos… Como desejamos a vingança de Deus – que mascaramos com o adjetivo de “justiça de Deus”.
Muitas vezes reclamamos a justiça de Deus quando nos enxergamos como vítimas, mas se Deus fosse usar de “justiça” conosco em todas as circunstâncias que fomos ou que somos algozes, certamente que nós já teríamos encerrado a carreira. Como diz a Bíblia: “A misericórdia de Deus é o motivo pelo qual ainda não fomos consumidos.”
Graças a Deus pela misericórdia Dele, que perdoa nossos inimigos, não imputando a eles a desgraça que desejamos a eles, pois, se assim fosse, nós, seríamos também banidos, pois nos enxergamos vítimas, mas outros já nos viram no papel de algozes.
E aí? Vamos perdoar e sermos perdoados?
Ou prefere que Deus julgue os seus erros?
“Perdoai as nossas ofensas, do jeito que nós temos perdoado aos que nos tem ofendido…”
E aí? Vamos continuar na velha e boa hipocrisia ao orarmos o “Pai Nosso”?.
——————————
Nesse filme publicitário, o personagem – um ratinho – nos surpreende, pois de algoz, vira vítima, mas volta a ser o algoz novamente, encarnando o anti-herói. Confira!
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=YqlQS5CCmwI]

sábado, 15 de outubro de 2011

AH! SE A GRAÇA FOSSE ENTENDIDA!
 
Graça x Cristianismo x Outras Religiões. Se considerássemos o poder da Graça, pelo absurdo da fé, pelo que foi feito por Deus, por amor pela humanidade, não haveria nada que sustentasse as religiões, fosse o Cristianismo, fossem qualquer outra.

Todo poder religioso cai, desaba, fica sem nexo, sem moral nenhuma, quando o sistema de sacrifícios, méritos por esforço próprio, trocas do tipo eu faço e o Senhor restitui, eu dou e o Senhor multiplica desse lugar à compreensão do que a Graça significa em sua totalidade, pois a Graça, em si mesma, não permite o que o ser humano mais gosta de fazer, principalmente os religiosos: julgar!

A Graça é nos dada por meio da fé, não por obras para que ninguém se glorie, e é aí que ela se torna uma ameaça, pois pela fé simples e pura daquilo que não vemos, mas temos a certeza de que alcançaremos, é que se dispensa não só o nosso sistema de julgamentos sobre tudo e todos os que não andam segundo à nossa cultura religiosa, mas também derruba todos os artifícios usados pela religião para justificar o alcance do favor de Deus, como incensos, sangue de animais, santinhos, sistema de roupas, objetos ungidos, peregrinações, promessas, água santificada, penitências, amuletos, horóscopos, campanhas de 7, 14, 21 ou mais semanas, superstições, rituais sagrados, oração com um copo de água do lado, outros tipos de campanhas, terços, novenas, imagens, enfim, entende-se o porque a maioria das igrejas e religiões preferem misturar a Graça de Deus com a Lei de Moisés ou com rituais inventados por homens, afinal, pense bem, como é que elas iriam se empanturrar de dinheiro? Como iriam ter lucros? De onde viria a fama, o poder e a influência?

A Graça exige justamente o contrário, ou seja, ninguém é melhor do que ninguém, a não ser aquele que nos amou primeiro, a saber, Deus! Nós nos tornamos nada, por meio do arrependimento, e assim nos tornamos sal da terra. O sal, jogado na panela no meio da comida, é o que dá o sabor a ela, mas você não vai mais ver o sal, ali, misturado, mas você sabe que ele está ali por causa do sabor. Isso é a Graça, ninguém reconhece você pelo que você faz, mas todos são alimentados pelo sabor que você deixou em um determinado ambiente, seja em sua casa, na sua rua, na sua família, no seu trabalho, não importa onde, você foi o sal que deu sabor a um certo número de pessoas. O seu amor está ali entre elas, e elas vão ser resultados desse seu amor por elas, sem prêmios, às vezes sem valorização, mas é Deus quem te recompensará, pois Ele te amou primeiro!

Não há disputas, nem julgamentos a serem feitos entre a denominação A ou B, entre a que se acha a mais ungida, ou a mais cheia, ou a que tem repléplé, ou a que tem a prancha de surf como púlpito. Não há nada a mais nem nada a menos a ser feito para agradar mais ou menos a Deus, nem ter que acalmar os Seus ânimos por algum erro cometido por alguém, sem ter que fazer mais ou menos obras para dizer ao povo que Deus é mais com esse ou com aquele,nada disso, a nós resta apenas ser grato a Ele pelo que Ele já nos fez e caminhar no caminho da graciosidade.

A Graça faz o caminho inverso do que a maioria das igrejas e religiões ensinam, pois a Graça cria uma consciência de gratidão onde vivemos em resposta ao que Deus é e já fez, enquanto que a maioria das igrejas e religiões ensinam as pessoas a sempre estarem sacrificando para conquistar algo, sempre correndo atrás de alguma coisa, nunca descansam. Se você é grato a alguém, você sempre vai fazer de tudo pra deixar aquela pessoa feliz, satisfeita de estar sempre ao seu lado. O que é o inverso quando você pra ser aceito por alguém tem de se sacrificar, fazer malabarismos para ser notado por ela, é como se esse alguém fosse um astro muito popular e você fosse só mais um no meio da multidão tentando de tudo para conseguir um simples autógrafo.

A graça é a coisa mais fantástica que Deus nos deu, mas é tão fantástica que o ser humano a recusa, pois quem gosta de comandar, tem medo de perder autoridade e poder de comando, e quem gosta de ser comandado, tem medo de ficar solto, livre, fora da gaiola!

Pense nisso!

Márcio Fidélis, missionário de Cristo.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

UMA NOVA CHANCE! Homeagem a um grupo de heróis

Ontem, 12 de Outubro, onde se comemorou o dia das crianças, pela primeira vez em quatro anos a TEMPO DE V-I-D-A não realizou um festejo ou distribuiu brinquedos para os pequeninos carentes. Motivo? Falta de recursos!
É justamente a falta de recursos o motivo de estarmos repensando a missão a partir de 2012. Não adianta tentar fazer alguma coisa se não conseguimos recursos para isso, e talvez a grande barreira seja o fato de sermos registrados como instituição religiosa.
A idéia, quando fora feito o registro, era de criar-se uma instituição que agregasse o espírito de Atos 4.34-35, ou seja, uma instituição sem lucro financeiro, onde todos os recursos seriam usados para as pessoas, fossem nas necessidades materiais (como uma associação de assistência social), fosse para criar atividades como aulas de ballet, aulas de karatê, e outras atividades esportivas e lúdicas para as crianças e até para a terceira idade (como um centro comunitário), além de dias de reuniões para adoração a Deus (como uma igreja). A idéia de se criar uma Comunidade humanitária, soou como loucura por alguns líderes de igrejas evangélicas, e piada para outros, pois um local que não retém dinheiro, mas que o usaria 100% para atividades diversas, não haveria de subsistir, porém, para mim, o mais importante seria trazer esperanças para as pessoas carentes de favelas, onde não há atividades para as crianças, além delas não poderem pagar para fazer estas atividades fora dali e onde a marginalidade assume o papel de ensinar o que não presta a elas.
Ainda assim, fizemos questão de participar de um evento ao qual fomos convidados por uma associação comunitária de bairros, e que nos consumiu o dia todo. Conversando com eles, enquanto assistíamos as crianças bagunçando e se divertindo em diversos brinquedos que fora ofertado por alguém amigo da comunidade, dançando com músicas infantis (detesto festas de crianças com músicas adultas de sacanagens) e conversamos sobre como é difícil criar alternativas para melhorar as vidas das pessoas, num momento de apostasia, onde as pessoas só pensam em si próprias, mesmo aqueles que se dizem seguidores de Deus, mas que Deus é este, se Deus é amor e as pessoas não amam?
Todos reclamam da atual situação criminal-marginal de nosso país, mas ninguém quer fazer algo para isso diminuir e que a base disso são as crianças e enquanto as pessoas acharem que devem apenas cruzar os braços e esperar o governo fazer alguma coisa, a situação só irá de mal a pior. Não adianta reclamar, tem de agir!
À noite, perto de 9 hs, cansado, com fome e retornando para casa, passando pela Avenida Leomil, Guarujá, parado no semáforo, veio uma moça me entregar um folheto igual ao que está no início deste post. O nome dela é Verônica e ao lado dela estava a Tati e mais a frente dois rapazes (deviam ser o Ederson e o Marcelo) segurando uma faixa também para chamar a atenção dos motoristas a respeito de se ler a Bíblia. Achei interessante esse chamado, pois no meio do povo que se diz de Deus e principalmente o povo evangélico, vivemos uma etapa triste onde Deus virou apenas um empresário a mercê dos seus exigentes consumidores religiosos.
Todos eles são missionários do Grupo Uma Nova Chance - WWW.GRUPOUMANOVACHANCE.COM e o grupo havia inclusive me mandado um email me convidando a participar deste flashmob evangelístico às 7 hs da noite (e eu nem sabia o que significava flashmob, rsrsr), e fiquei feliz em ver que mesmo no meio da chuva eles estavam ali e somente eles (não haviam mais voluntários) estavam fazendo a sua parte como missionários de Cristo. Não parei a Verô por que a fila de carros era grande e o semáforo ali é rápido para abrir e ela estava entregando os folhetos.
O Grupo Uma Nova Chance é uma comunidade de amigos em Cristo que resolveram fazer uma revolta santa e levar para fora das quatro paredes da igreja algo a mais para chamar a atenção daqueles que não vão a igreja, ou ser uma ponte de benção para aqueles que a igreja não alcança.
Louvo a Deus pelas vidas destes pequenos heróis, que também sem recursos, fazem atividades de flashmob evangelístico, culto nos lares carentes (onde as igrejas não se achegam), bricadeiras com as crianças de comunidade dois domingos por mês, entregas de Bíblias, entre outras ações.
Volto a afirmar, é uma pena que pessoas dão todos os seus recursos para sustento das vaidades de líderes inescrupulosos, para a compra de seus jatos, iates, mansões, seguranças, haras, TVs, mas não se compadecem por pequenos grupos que põe a mão na massa, que vão onde ninguém vai, que faz algo a mais do que apenas fazer reuniões dentro de quatro paredes, que estão juntos, que ri com quem ri, e que chora com quem chora.
Acorda povo que se diz de Deus. O objetivo é pregar a Palavra de Deus a todos os povos, e não encher líderes de riquezas e poder.
Parabéns GRUPO UMA NOVA CHANCE! Continuem firmes, pois aos homens vocês podem ser um grão de areia, mas para Deus vocês são uma pérola!
Márcio Fidélis, missionário de Cristo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011


DEUS NÃO É RELIGIÃO

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

DOMINGÃO DO DEUSÃO!
Domingão de sol maravilhoso, quente, com programação para o dia todo, uma benção de Deus na minha vida.
Fui levar uma mensagem de Deus para uma comunidade carente, que se reuniria pela manhã, e a qual fui convidado para pregar. Não prego, deixo bem claro, não faço sermões, levo uma mensagem de Deus e aquilo que Deus me colocar no coração para ser dito. Se Ele falar, eu falo, e se Ele nada disser, também nada direi além da Palavra que está na Bíblia.
As poucas pessoas que estavam nesta reunião ouviram uma mensagem de fé, de paz, de graça, de amor, de que Deus já cumpriu tudo na vida deles por meio de Jesus, já se reconciliou com o ser humano, está consumado! Aquelas poucas pessoas se entusiasmaram em saber que são errantes, e que isso não vai mudar, não pelas próprias mãos, não pelo esforço próprio, mas pela misericórdia que nos faz ser melhores a cada dia.
Após a reunião, fui direto para o campo de futebol, onde assisti a final do campeonato amador do Guarujá. Jogão, com o time do Santa Rosa vencendo o Itapema por 1X0, no campo do Itapema (já havia vencido em seu campo também por 1X0). O craque do time, que só entrou no segundo tempo, é pastor de uma igreja evangélica, gente simples, sem vaidades, joga muito, e em nenhum momento colocou uma barreira entre ele e as demais pessoas que o cercavam. Fiz questão de cumprimentá-lo. 
Após o jogo, festa, churrasco, guaraná e cerveja a vontade, se juntaram a mim algumas pessoas ao qual pude falar do amor de um Jesus não religioso, mas de um amigo para todos os momentos, e as pessoas se admiravam de ouvir sobre um Jesus diferente. De barriga cheia e satisfeito fui me preparar para levar a mensagem numa igreja evangélica a noite, onde também havia recebido um convite para isso.
Bom, cheguei, não me identifiquei (não gosto), não vim de roupa de gala (não gosto), nem quis sentar no banco atrás do púlpito (não gosto). Permaneci um bom tempo no meio da multidão, do povão, de pessoas que são simples, cheia de fome pela Palavra, embora no meio do trigo sempre haja os joios que só estão lá pra bater cartão, pra fazer “H” pro pastor ver, até que passados uns 40 minutos uma irmãzinha veio me perguntar se era a minha primeira vez na igreja, a qual respondi que sim e que estava ali para levar a mensagem.
Pronto, virou correria daqui e dali, e avisa um irmão, que corre pra avisar o pastor do momento (pois o pastor meu amigo, e que me convidou ainda não havia chegado), vem um irmão pra me obrigar a sentar lá no altar, o qual me recusei, e as pessoas em volta umas me elogiavam por estar ali entre eles, mas outros me olhavam feio, como a missionária da igreja, que claramente estava com inveja ou com raiva de eu estar ali para pregar.
Chegou o pastor meu amigo, e o povo vai atrás dele para avisar que eu estou no meio da multidão, ele com olhar preocupado, veio conversar comigo pois eu tinha que tomar o meu lugar de destaque. Ai, ai, Amém, fui sentar lá na frente, mas me recusei a sentar no altar!
Fui anunciado, e preguei no mesmo tom da mensagem que foi pregada  de manhã, simples, fácil, rápido e com algumas partes que Deus me deu na hora para passar a igreja.
Ao terminar, notei um povo extremamente tenso, preocupado, alguns me perguntavam de como poderia ser de Deus o que eu havia falado, pois Ele não trabalhava desse jeito (livre), mas por meio de nossos atos (sacrifícios de homens), outros com cara de reprovação simplesmente me ignoravam, mas outros estavam aliviados por uma mensagem de benção, de liberdade saudável, de amor, queriam saber onde era a minha igreja para fazerem uma visita, ao qual eu respondia que a minha igreja é a Igreja de Cristo, não é uma placa denominacional e nem um prédio, e ficava um ponto de interrogação no ar.

Deixei a intenção de futuramente congregar algumas pessoas em algum lugar específico, mas que não era uma prioridade. O meu amigo pastor ria com um sorriso amarelo, mas disse que eu era um homem de Deus e de uma igreja renovada, kkkkkkk!
Enfim, foi um domingo de encher os olhos, onde Deus me usou para levar a sua mensagem  em 3 territórios diferentes, mas em todas o Seu nome foi glorificado através de vidas tão diferentes entre si! O domingão não foi meu, mas do meu Deusão!
Pena é que as pessoas se acostumaram a comer das teologias prosperitárias de líderes de má vontade, e estranham quando lhes apresentam um cardápio diferente, não tão diferente assim, pois é o mesmo cardápio que foi deixado por Jesus há mais de 2000 anos atrás: AMOR!

É O AMOOOOOOR! Boa semana a todos! Amo vocês!
Márcio Fidélis, missionário de Cristo.

domingo, 9 de outubro de 2011

JESUS DIANTE DO SINÉDRIO

Por que você come e bebe com pecadores e se assenta na roda deles? Por isso que andam dizendo que você é um beberrão. É verdade?

O que foi que aconteceu lá na casa de Simão quando aquela prostituta entrou? Dizem que ela beijou os teus pés e derramou perfume neles e os beijou.

Você foi visto conversando com uma mulher sozinha no poço de Jacó. Até os que andam contigo ficaram desconfiados. O que aconteceu lá?

Você anda desrespeitando a Doutrina? E essa história de dizer que é só crer e pronto? Você não sabe que tem pagar o preço?

Sai dizendo por ai que a fé salva as pessoas sem elas confessarem publicamente o nome de Deus, é verdade? E o discipulado dessas pessoas? Você tem que prestar contas dessas almas!

ADVERTÊNCIA A JESUS: Cuidado! Com tudo isso sendo apontado sobre seu comportamento você pode comprometer o nome e a doutrina da igreja e poderá ser disciplinado.

Ao que respondeu Jesus: ”Os sãos não precisam de remédio e sim os doentes, eu não vim chamar justos ao arrependimento e sim pecadores, e tem mais, todo aquele quem vem a mim eu de maneira nenhuma o lançarei fora, o Espírito Santo quando vier irá ensinar tudo que da parte de Deus for preciso”.

De qual lado você estaria hoje? Do lado interrogador ou do lado interrogado?

Um grande abraço!
por Airton Junior

sábado, 8 de outubro de 2011

A 'RELIGIÃO' DE DEUS!

 A ‘religião’ de Deus

A religião criada pelo Imperador Romano Constantino chama-se Cristianismo.
A ‘religião’ criada por Deus foi apenas oferecer seu Filho Jesus à humanidade.
O Filho ensinou o amor, dando a sua própria vida em favor de todos.
O Filho tornou-se o Caminho para que a gente enxergasse o tamanho desse Amor de Deus por nós.
O Filho tornou-se a Verdade e é por meio de Seu Amor que conseguimos enxergar a nós mesmos – perturbados que somos com limitações e fraquezas.
O Filho tornou-se a Vida por meio do Qual nossa vida pode ganhar novas dimensões de existência, tanto nessa como na vida porvir.
Quem tem o Filho tem a Vida.
Mas, Ele nunca disse que para segui-lo era necessário pertencer ao grupo Cristianismo.
Ele não implantou sistemas, Ele veio para nos libertar de qualquer tentativa humana de re-conquista de Deus, pois Ele se tornou o único Caminho a um Deus reconciliado.
A religião verdadeira que ele colocou foi cuidar uns dos outros em respeito e honra, sendo servos uns dos outros.
Jesus de Nazaré, o Messias, prefere que tenhamos um relacionamento com o Pai através e entre as pessoas.
Prefere que no caminho escolhamos ser melhores seres humanos.
Prefere que, a partir dessa experiência, o mundo conheça seu Amor; e o que é pessoal e individual “contamine” de BEM o que é coletivo e social.
Prefere que, diferente do que Cristianismo se acostumou a fazer, ganhemos o mundo e NÃO ganhemos DO mundo!
Sigamos!
por Caminho Consciência

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A IGREJA É UMA EMPRESA?

Na últimas décadas temos experimentado grandes avanços científicos, tecnológicos, econômicos; dentre outros. Consequentemente, todas as esferas da sociedade acabam influenciadas por tais tendências, inclusive a igreja. Esta tem absorvido as principais “guloseimas” do mercado, entrando assim num universo semelhante ao das grandes corporações empresariais.

Livros como, Uma Igreja Com Propósitos, de Rick Warren, entre outros, revelam a busca por um plano de ação e crescimento, capaz de dar inveja a muitos empresários bem sucedidos. O referido autor, assim como vários outros (principalmente norte americanos), apresentam-nos um modelo de “igreja” empresarial, no qual o líder principal assume o papel de um gestor presidente, responsável por formar uma equipe de subgerentes (líderes de ministérios, obreiros, etc), além de gerenciar os empreendimentos propostos. Seus liderados são responsáveis pelo funcionamento da “máquina”, sendo constantemente cobrados pelo crescimento numérico da mesma.

Neste modelo, os planos são muito bem orquestrados com o fim de alcançar os propósitos previamente definidos. Todavia, o que se percebe é que boa parte dos ditos “propósitos” são próprios do mundo dos negócios, e não estão fundamentados nos princípios do reino de Deus. Sendo assim, visam prioritariamente à projeção da corporação e seus líderes, pois os tais acabam recebendo a glória pelos resultados. Aquilo que deveria ser a manifestação do Corpo de Cristo, com sua beleza, simplicidade, diversidade e poder; acaba se tornando uma espécie de “empresa de entretenimento religioso”. Isso é lamentável!
Para uma reflexão consciente, destacamos algumas das quais consideramos ser características próprias desse “negócio”, que não devemos confundir com a Igreja.

1. O desenvolvimento dos negócios propostos pela “igreja” empresa, centram-se numa liderança personalista. O líder principal é uma espécie de “guru”, dotado de revelações e poderes “especiais” (“ungidão”), que o colocam num patamar bem acima dos demais, além de transformá-lo em alguém imune a erros e questionamentos. Muitos se tornam celebridades do mercado gospel, sendo capazes de vender os mais variados produtos em nome da “fé”.

2. Ênfase vergonhosa na arrecadação de recursos para a manutenção e expansão dos projetos. Em muitos casos os programas e as supostas bênçãos, mais se parecem os “nichos da deusa Diana”, os quais eram fonte de grande lucro para o ourives Demétrio (ver At 19.23-27). A maior parte desses “ministérios” trabalha com metas de arrecadação, transformando seus porta-vozes em verdadeiros pedintes, exploradores do povo e vendedores de amuletos religiosos. As novas metas são sempre divulgadas, mas dificilmente ocorre prestação de contas acerca dos valores arrecadados e a aplicação dos mesmos.

3. Forte apelo emocional com foco em ministrações mais parecidas com palestras de auto-ajuda do que com a proclamação das Escrituras. Os “pregadores” se destacam pela habilidade em contar piadas e fazer o povo dar risadas, além de repetirem jargões próprios do mundo motivacional, visando massagear o ego da platéia e mantê-la cativa de seus idéias mercadológicos.

4. Super valorização das estratégias (modelos) de crescimento, acima dos princípios fundamentais da fé cristã. Há programas para todos os gostos e públicos. Geralmente é o público alvo quem determina que tipo de programação será realizada. A igreja empresa procura se adaptar e satisfazer às necessidades das pessoas, a fim de alcançar suas metas de expansão.

5. Centralidade em grandes eventos realizados em prédios (templos) equipados com o que há de mais moderno em equipamentos, com objetivo de agradar freqüentadores cada dia mais exigentes. Há uma constante busca por maiores prédios e maior visibilidade em um determinado local. Com isto, as pessoas se tornam meros números nas estatísticas, além de potenciais contribuintes para o avanço do negócio.

Estas são apenas algumas das muitas características da igreja empresa. Um olhar sensato sobre as mesmas será suficiente para concluirmos que tal modelo, em muito destoa da Igreja que deve se expressar como organismo vivo, e não como instituição empresarial.
Que Deus nos ajude a não aceitarmos que o empreendedorismo do meio gospel, nos transforme em meros consumidores de programas e produtos, ao invés de celebrarmos a simples e transformadora comunhão com Deus e com nosso próximo.

por Riva dos Santos

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

TEOLOGIA DA MINHA PROSPERIDADE





Calma, tem pra todo mundo. Aqui está a homenagem merecida para os demais Servos do Deus Mamom

Dinheiro (Tradução da música "Money", do Pink Floyd)

Dinheiro, fuja
Arrume um bom emprego
Com um salário melhor você fica OK
Dinheiro, é um gás
Agarre essa grana com as duas mãos e faça um estoque
Carro novo, caviar, sonhos acordados de quatro estrelas
Acho que comprarei um time de futebol para mim
Dinheiro, volte
Eu estou bem, cara, mantenha suas mãos fora do meu monte
Dinheiro, é um sucesso
Mas não me venha com essa bobagem
Estou no grupo de viagem de primeira classe e alta fidelidade
E acho que preciso de um jatinho
Dinheiro, é um crime
Divida-o de modo justo mas não pegue um pedaço da minha torta
Dinheiro, assim eles dizem
É a raiz de todo o mal hoje em dia
Mas se você pedir um aumento
Não é surpresa que eles não estejam dando nenhum

Fonte: Pavablog

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

ALGUNS DETALHES QUE NÃO PERCEBEMOS EM JESUS
Alguns detalhes que não percebemos em Jesus Felizmente Jesus não era neopentecostal, pentecostal, batista, católico, presbiteriano, espiritualista, xintoísta, budista, animista, maometano e nem cristão.
Não fundou nenhuma religião, apesar de os cristãos que não percebem que toda religião é criação humana acharem que ele fundou o cristianismo.
Não estabeleceu nenhum reino na Terra, mas somente no coração do homem.
Não determinou que se criasse nenhum centro de poder religioso, embora o Vaticano católico e os vaticaninhos evangélicos pensem que sim.
Não fixou nenhum lugar físico de culto; ao contrário, afirmou que a verdadeira adoração só se faria no templo do coração e na catedral do espírito, em espírito e em verdade, onde quer que houvesse dois ou três reunidos em torno de seu nome.
Não permitiu que houvesse nenhum chefe religioso entre nós, discípulos; ao contrário, afirmou que a ninguém devemos chamar de “mestre” ou “guia”, porque ele é o nosso único Mestre e Guia, e que, na comunidade dos discípulos, o maior é aquele que mais serve a seus irmãos.
E por aí vai…
A lista é praticamente infinita; limitado é o nosso discernimento mesmo quando de cara com o óbvio.
Que Deus nos ajude!
Fausto Castello